Amazon MP3 Clips

segunda-feira, agosto 30, 2010

Testemunho missionário

Quando senti vontade de me tornar missionária, surgiram imensas dúvidas e receios.



Perguntava-me se era mesmo isso que eu queria e qual seria a vontade de Deus. Para além disso sou menor, não sabia por onde começar e tinha imenso medo de não estar à altura, mas nada disso impediu que Deus realiza-se em mim o Seu projecto e, penso que a ultrapassagem de todos os entraves ao descernimento da minha vocação são a prova de que é isto mesmo que Deus quer para mim.


Este Verão, os missionários da Paróquia da Ramada, lançaram-me o desafio a mim e a uma amiga, de os auxiliarmos durante a semana missionária em Vale de Prazeres. Eu nem queria acreditar, era a realização de um sonho e, mais um sinal de Deus no entanto, um dia antes de partir, fui assaltada por uma onda de dúvidas. Senti mesmo que não tinha vocação e que não estava à altura do desafio mas já era tarde para desistir e assim, fui rumo a uma das melhores semanas da minha vida.


Ao longo da missão identifiquei-me com a frase «Não tenhas medo, a vida só quer que tu sejas feliz» pois, apesar de todos os receios, a missão preencheu-me e fez-me mesmo muito feliz. Também fui marcada pelas pessoas e sinto que recebi muito mais do que dei e que podia ter dado muito mais, podia ter feito muito mais... Tendo consciência de que o maior Missionário de sempre Foi e É Jesus Cristo, nós, missionários, devemos ser bastante exigentes connosco pois imitar a Cristo não é fácil, é até mesmo impossível fazê-lo plenamente. Por esta mesma razão, entro em contradição e digo-vos que não devemos ser assim tão exigentes pois, como é obvio, muitas vezes pecamos e fracassamos na nossa Missão. Desta forma, aconselho-vos vivamente a encontrarem um ponto de equilíbrio. Cada um de nós dispõe de dons e, como comunidade, dispomos de pluralidade de dons, diferentes ao nível do serviço mas de igual importância e dignidade.


Pensamos muitas vezes, erradamente, que temos muito pouco ou nada para dar e que há pessoas que fazem muito mais coisas que nós e coisas mais importantes. Desenganemo-nos! Todos nós somos chamados por Cristo, Ele quer precisar de nós e, o mínimo que puderes fazer já é muito, é tanto... E isso é visível na gratidão, no olhar das pessoas que ajudámos (e que nos ajudaram tanto). Por isso, tudo o que puderes fazer, faz! Fará toda a diferença no mundo, na vida dos outros e na tua própria vida.


Gostava de acabar o meu testemunho com um agradecimento especial ao Padre Paulo Figueiró pois, foi graças a ele que conhecemos o Movimento Missionário e, agradecer também à Ana Maria, ao Bruno e à Daniela pelo apoio, pelo testemunho, amizade e por acreditarem em nós. Vós sois um exemplo que todos deveriam seguir:)

Sem comentários:

Enviar um comentário