Amazon MP3 Clips

sexta-feira, julho 30, 2010

segunda-feira, julho 26, 2010

Há sempre outro caminho

Se as tuas mãos não podem tocar o céu,
tocam flores, terra e raízes
Se os teus pés não podem caminhar sobre as nuvens,
pisam areia molhada, terra firme (por vezes feridos nas pedras do chão...)
Se não podes caminhar sobre as águas,
entra no mar e flutua
Se não podes ver Deus,
usa os teus olhos para ver o outro, para contemplar as Suas maravilhas
Se não tens asas para voar,
a tua alma sonha
Se não podes viajar,
o teu pensamento voa
Se estás preso numa cela,
o teu coração é livre
Se o teu canto não chega às estrelas,
haverá alguém que se delicie em o ouvir
Se sentes que não dá mais,
podes parar
irás descobrir que podes muito mais,
que és muito mais forte do que o que julgas e que,
se não podes virar à esquerda
a estrada continua à tua direita.

« e o sorriso que te cobre de paz e inocência..»

Mãos que tocam a parede,
nesta ânsia de te sentir
e tu longe, e tu perto de mim
o teu corpo, é a parede
e as mãos, essas, são as minhas


o muro que nos separa é vão porque no fundo, no fundo, ele não nos separá, não verdadeiramente, não completamente...

semelhantes

Já reparas-te na semelhança que existe entre ti e o teu inimigo? Repara melhor... eu consigo ver dois olhos, duas mãos, um quebranto no sorriso... Já viste? E agora, achas que consegues vir comigo um pouco mais fundo e descobrires mais semelhanças? Então vamos a isso!
O teu inimigo é uma pessoa e, como é óbvio, houve um dia em que nasceu, tem necessidades fisiológias, necessidades de beleza, de afecto, segurança... tal como tu e tal como tu, um dia irá morrer e este facto ou a assusta ou a atormenta e bombardeia com questões existenciais sem resposta. Para essa pessoa o tempo escasseia e escasseia também o seu tempo para amar (tantas vezes perdido em inimizades...).
E quando desces tão baixo quanto ele, respondendo às provocações, ou pelo contrário, consegues ser superior... e quando ele também te supera? Ai, ai... tanto em comum...
Quando ficas feliz com a sua desgraça ou sentes inveja quando a sua vida parece perfeita, desengana-te! Essa pessoa terá problemas, medos, angústias, sofrimentos, sonhos, ilusões e desilusões, muitos dos quais escondidos... mais uma vez, tal como tu.
Bem, parece que já descobrimos bastante semelhanças, não? E certamente que descobrirás muitas mais, se te deres ao trabalho de repares, de te aproximares, de compreenderes. Afinal, somos humanos, somos mortais, somos errantes e todos temos sede de amor.
Ninguém, ninguém é excepção.

Não achas que valerá a pena mudarmos de atitude?

Significado

A maior parte das minhas acções são vazias de sentido, não sei se esta minha preocupação tem alguma razão de ser, não sei se existe mais alguém que se preoucupe com isso... a verdade é que gostava de fazer algo diferente, gostava de fazer mais...
Não sei se algum dia encontrarei sentido para as minhas acções ou se isto  é apenas a minha mania de tentar perscrutar um significado em tudo o que acontece...

Dias?

Dias há em que estamos de mau humor, sem paciÊncia para nada ou sentimo-nos tristes, com vontade de deprimir... E quando alguém nos tenta animar e mudar o dia resmungamos um  «é só hoje!». O problema é mesmo esse, estamos convencidos de que «é só hoje» mas esse dia repete-se e no final da vida, se puderes olhar para trás, verás que o amuo  durou muito mais tempo do que o que querias, do que o que tinhas imaginado.... Mas não imaginavas nada, não pensavas nada... Passavas o tempo todo a resmungar e a queixar-te de tudo e mais alguma coisa e não tives-te tempo para imaginar, brincar e fantaziar. Hoje, olhas para trás e já nem sabes o que sonhas-te, de tão perdida que está a criança que foste e que nunca deverias ter deixado de ser.


Defenitivamente, é crime obrigarem-nos a crescer. Será que ainda podemos mudar?

terça-feira, julho 20, 2010

Ocupada a fazer coisas

Estou cansada e no fundo não sei para que corro tanto. Posso dar a desculpa de que o exercício físico faz bem à saúde, que manter a cabeça ocupada nos torna felizes e estar sempre a fazer coisas é viver (e por momentos consigo esquecer-me de ti), mas no final do dia nada disto faz sentido. E depois de brincadeiras, aventuras, conversas, saídas à noite, idas à praia e à piscina, viagens... tanta coisa que toda a gente gosta de fazer, e eu também gosto, fica um vazio enorme...

Testamento de Sangue

« O canto é um grito espontâneo de liberdade que se modifica pela imitição de um modelo. Cantam as aves porque são livres.»

« a voz de quem está cativo, homem ou ave, não canta, chora; não gorgeia, soluça; não é um hino à liberdade, é um queixume de escravidão.»
«Visitada apenas por um raio de sol, n'uma tranquilidade, não pavorosa como a do deserto, mas doce como a das flrorestas, quando se sofre e o coração não é todo nosso, e as sombras e os cânticos e a doçura da solidão alimentam e suavisam a dor...»

Este pedaço de texto compreende-me talvez até mais que a mim mesma...
Quando se sofre e o coração não é todo nosso, necessitamos de tranquilidade, da paz que só a Natureza nos pode dar para acalmar a dor... eu,pessoalmente, preciso de estar sozinha.

Parabéns Catarina

O tempo vai passando e descobrimos que todos nós passamos por situações semelhantes, que quando chega a altura batemos com a cabeça na parede, fazemos asneiras, fazemos coisas, sofremos, acreditamos, iludimo-nos, sonhamos, temos momentos de felicidade...é o ciclo da vida pelo qual todos temos de passar, embora custe crer que todos estes sentimentos caibam numa vida, mas cabem, cabem todos os sentimentos que tu quiseres e até aqueles que tu não queres... Com a passagem do tempo vamos descobrindo que aquilo que ignoramos é infinitamente maior do que aquilo que conhecemos, que o tempo passa demasiado rápido e não nos dá tempo para sarar as feridas, não nos dá tempo para conhecer-mos as pessoas nem de passar com elas todo o tempo que gostaríamos.


Com a passagem do tempo descobrimos que se não tivessemos amigos a vida não faria sentido, simplesmente porque ninguém nos compreenderia, ninguém nos daria a mão, repreenderia quando estamos errados, gozaria connosco e iluminaria o nosso dia com o olhar, o sorriso e a presença. Pode desabar o mundo nas diferentes passagens da nossa vida, mas os amigos estão lá sempre, nem que seja numa recordação de um dos momentos felizes e imortais, num dos momentos que fica na história da  gente.

Catarina, não sei explicar como é que isto aconteceu, mas eu sinto-te minha amiga ♥

Parabéns e nunca desistas dos teus sonhos:)

Não sei, não sabe ninguém

Não sei, não sabe ninguém que eu te amo mais que a Deus, que te amo mais que a mim mesma, mais que a qualquer outro ser, mais que aos montes e vales, mais que ao vento e ao mar, mais que às nuvens  e ao céu, mais que ao sol e mais que à vida.  Não sei, não sabe ninguém o quanto dói um segredo e como se cala, esconde e esquece o que sinto perante o teu olhar, o teu sorriso, a tua presença, essência e, também, perante a tua ausência. Não sei, não saberá nunca ninguém a razão de tamanha loucura.
És tu, meu amor, quem ousa bater no meu peito? Diz-me se és tu quem me faz sonhar, quem me faz feliz, quem me faz sofrer... quem chega de mansinho e me surpreende pela aurora e quando chega a noite não me deixa dormir, teimando em não ir embora. Será que foste tu quem roubou meu coração e deixou um buraco no meu peito? Será possível que alguém como tu seja capaz de deixar tamanho vazio?

segunda-feira, julho 19, 2010

Há pessoas assim que só vimos de quando em vez e com quem falamos duas ou três vezes mas que têm a capacidade de nos marcar toda uma vida <3

always in love

Somos pobres, altivos, medíocres... mas o amor transforma-nos, tornando-nos humildes.

terça-feira, julho 13, 2010

Ficas tu

Passou o dia mas tu ficas-te.
Passou a noite mas tu ficas-te.
Passa o tempo mas tu não passas.
Talvez tenha sido a última vez que o nosso olhar se intercruzou, mas eu sei que tu habitas em mim.
Talvez nunca mais possa sentir as tuas mãos, porque o tempo passou e para nós já não há tempo nem lugar mas tu presistes, tu vives, tu és, e sendo efémero, sendo apenas um ser humano tu tornas-te eterno em mim.

Soledad

«Soledad, antes que o sol se vá


Como um pássaro perdido

Também te direi Adeus

Soledad, Soledad

Também te direi Adeus



Terra, terra morrendo de fome

Pedras secas, folhas bravas

Ai quem te pôs esse nome?

Soledad, Soledad

Sabia o que sei, palavras...



Antes que o sol se vá

Como um gesto de agonia

Cairás nos olhos negros

Soledad



Indiazinha, Indiazinha tão sentada

Na cinza do chão deserta

Que pensas, não pensas nada!

Soledad, Soledad

Que a vida é toda secreta



Como estrela,

Como estrela nestas cinzas

Antes que o sol se vá

Nem depois não virá Deus

Soledad, Soledad

Nem depois não virá Deus



Pois só ele explicaria

A quem teu destino serve

Sem mágoa, nem alegria

Um coração tão breve



Também te direi Adeus!

Soledad! »

segunda-feira, julho 05, 2010

Dar mais do que tens

Não é mais do que isso, nunca foi... mas eu queria que tivesse sido mais.
Mais tempo contigo, mais silêncio, mais partilha, mais descoberta, mais olhar... queria que tivesse sido mais. Queria ter-te dado mais de mim, mas as coisas nem sempre são como nós queremos e, por vezes, é impossível dar mais do que podemos.

sexta-feira, julho 02, 2010

Na ilha habitada que às vezes somos

por José Saramago in Provavelmente Alegria:

Na ilha por vezes habitada do que somos, há noites, manhãs e madrugadas em que não precisamos de morrer.
 Então sabemos tudo do que foi e será.
 O mundo aparece explicado definitivamente e entra em nós uma grande serenidade, e dizem-se as palavras que a significam.
 Levantamos um punhado da terra e apertamo-la nas mãos.
com doçura.
 Aí se contém toda a verdade suportável: o contorno, a vontade e os limites.
 Podemos então dizer que somos livres, com a paz e o sorriso de quem se reconhece e viajou à roda do mundo infadigável, porque mordeu a alma até aos ossos dela.
 Libertamos devagar a terra onde aconteceram milagres como a água, a pedra  e a raiz.
 Cada um de nós é por enquanto vida.
 Isso nos baste.
«Mais perguntas, amor? Antes calados.»

quinta-feira, julho 01, 2010

Não é nada contigo

Existe fome e sede, pobreza e doença, mas não é nada connosco.


Existe discriminação, racismo e xenofobia, mas não é nada connosco.

Existe exploração sexual, morte e violência para todos os gostos, mas não é nada connosco.

São usados seres humanos como cobaias nas experiências mais obscuras que possas imaginar, mas não é nada connosco.

Existem raptos, tráfico de seres humanos e exploração infantil, mas não é nada connosco.

A política e a justiça são uma brincadeira de mau gosto, as leis uma falácia e o mudo é movido pelos interesses de quem pode pagar mais, mas não te preoucupes. Afinal, que temos nós a ver com isso?

Uma questão de verdade

Quantos e quantos já colocaram esta questão, continuam a colocá-la e, certamente, continuarão a perguntar-se : «o que é a verdade?»


A verdade é uma questão fundamental que todos procuram e, parecendo esta afirmação bastante plausível, podemos facilmente verificar que não é bem assim.

Quantos se mascaram e fingem ser o que não são, não se deixando conhecer e não se conhecendo a si mesmos por medo ou vergonha da sua verdade. Tantas e tantas pessoas fogem à verdade e vivem em mentira. Ora, esta verdade da qual todos temos conhecimento deveria inquietar-nos e incitar-nos a mudar de atitude e a contribuir para que os que nos rodeiam também o façam mas, infelizmente, além de mentirosos também somos pobres de espírito, apáticos e comodistas. Preferimos estar quietos no nosso canto, sem ninguém que nos perturbe pois, denunciar a verdade e viver em verdade dá trabalho e é arriscado.

A verdade pode doer mas uma coisa é indiscutível, a mentira só nos fará felizes por breves momentos. Ninguém conseguirá construir paz e felicidade na base da mentira e na angústia e insónia que esta certamente trará consigo.

Não sei o que seja a verdade, mas acredito piamente que esta é essencial à vida, no sentido da palavra.
Condenados por tamanho segredo?


Mas como pode um segredo fazer tal estrago,

Se só tu o sabes e só em minha alma o trago?

Será tão forte que se espelhe em meus olhos?

Será tão trivial que qualquer um o possa ler?

Aos olhos de todos é cousa banal,

Este segredo que é causa de nosso morrer.