Amazon MP3 Clips

terça-feira, junho 29, 2010

«o dia mais belo? Hoje»

Sim, hoje é o dia mais belo porque é hoje que estás vivo, é hoje que podes mudar na tua vida tudo o que sabes estar errado, é hoje que podes lutar e mudar o mundo.

É hoje que podes dizer a verdade, é hoje que podes realizar um sonho ou construir algo de bom.

É hoje que podes mudar.

É hoje que podes partir e fazer mais.

É hoje que te podes arrepender e pedir perdão a alguém e a ti próprio ou ver aquela pessoa de quem tens tanta saudade.

É hoje que podes ter aquela conversa pela qual anseia há tanto tempo.

É hoje que podes dizer o que sentes.

É hoje que podes dizer amo-te.

É hoje que podes amar.

É hoje que podes tomar uma decisão.

É hoje que podes viver, e só hoje.

O dia mais belo? Hoje, sem dúvida.

«vou-te mostrar que as árvores riem para ti»
Era todos os dias assim, acordava para ir às aulas e distribuía sorrisos aos colegas, amigos e professores.


Espelhava magia por onde passava, tinha sempre uma palavra amiga e um conselho sincero para quem precisa-se. De regresso a cas ia trabalhar e só depois estudava, esforçando-se sempre por fazer feliz quem a rodeava. Mas parecia que ninguém reparava nisso, quando precisavam de um amigo ou quando tinham algum problema recorriam à Tânia. No entanto, nada do que ela fazia era útil ou estava bem feito e quando esta precisava de ajuda todos lhe viravam as costas. Mesmo assim, a Tânia continua amiga de todos, sendo desvalorizada, tendo vontade de chorar ela mantém-se firme e sorri. Até quando é que ela irá aguentar a solidão em que vive?

Quantas Tânias nos rodeiam e não olhamos para elas porque o nosso egoísmo não nos permite?
Olhas para mim com esse ar de eterna criança, com um brilho de curiosidade nos olhos e um sorriso tranquilo de quem quer escutar pacientemente cada detalhe do meu sonho.
«Hoje teria feito tudo diferente!»


Será? Se houve-se replay, eu voltariaa fazer o mesmo porque o medo é demasiado forte para me deixar fazer revolução e ser feliz.

morres-te

Um calafrio percorreu-lhe o corpo e os olhos encheram-se-lhe de lágrimas. Ele morreu e Maria sentiu e chorou até alcançar a paz e coragem para lhe escrever a última carta:


Venho hoje, demasiado tarde, dizer-te que és a pessoa mais bonita do mundo, que és especial, que tenho já saudades desses teus olhos rasgados cor de avelã, da tranquilidade do teu sorriso, da tua palavra amiga...

Se o tempo volta-se atrás dir-te-ia que dás sentido à minha vida, que és importante para mim e que, se a morte não trouxe-se o conjuntivo, o passado e o impossível, eu dir-te-ia que neste momento dava tudo para te abraçar.
Uma mulher de pele negra, cabelos negros e olhos negros, penetrantes, usando sempre um vestido rosa com retalhos brancos e um lenço na cabeça igual ao vestido para proteger o crânio do sol do deserto, puxava a corda que traria o balde de água do poço.


Um sol abrasador, misto de amarelo e laranja, queimava a paisagem dando brilho à areia, um vento seco fazia com que as folhas das palmeiras adquirissem movimento, tornando a sombra no oasis, um tanto inconstante. Era de facto, um sítio tranquilo onde qualquer pessoa poderia ser feliz, tranquilo como o sorriso de Néné ou tranquilo como os seus olhos doces e com a confiança de quem sabe que dentro de instantes vai receber água fresca nos lábios.

Quando o balde pousou no muro do poço vinha vazio, Sara voltou a tentar, transpirando cada vez mais nas suas tentantivas falhadas, porém sorria para que Néné não se assusta-se, e o balde vinha sempre vazio. Néné impaciente com a brincadeira correu para Sara e abraçando-a na cintura disse:

- podes parar? Eu tenho sede!

- Néné... aqui não há água.
Momentos há em que desejam ouvri o que nunca me atreveria a pronunciar, em que tudo esperam e eu nada posso dar...


Há momentos em que me desacreditam e algo em mim lhes diz que afinal estão errados, que apenas ainda não chegou o momento de deixar de ser mistério.
Podes ter-me na mão mas não terás jamais o meu coração.
Tenho medo de toda essa esperaça que têm em mim.

voltar a ver-te

Será que nos voltamos a ver? Seria bem que não, talvez assim minha alma sossega-se, oh que disparate! Eu quero tanto ver-te, quero o desassossego dos teus passos, a inquietação dos teus beijos, o calor do teu sorriso.


Quando o mundo parece desabar é de ti que tenho sede, quando algo de bom acontece é contigo que eu quero estar, quando faço algo de bom acontecer quero que sejas a primeira pessoa a estar lá e ver. Quero dar a volta ao mundo contigo mas sei que o único lugar em que te posso trazer é no meu coração.

Este sentimento é tão irracional. Qual é a utilidade de estar neste estado? Que ganho com isso? Que ganhas tu com isto? Nada, não sei. Não tem explicação lógica este não querer mais nada que o teu sorriso.
Sem te ver, espreitas-me a todo o momento...


Quero chorar mas sorrio,

Quero gritar mas calo,

Quero correr para ti mas fico e sinto-te partir.

São sonhos que a vida apaga e que o tempo leva para longe, mas tu, estás sempre por perto.
na inteireza da minha paixão cometi loucuras, fiz disparates, rasguei o coração...

sim, sangrou nem eu sei quantas vezes, mas mesmo débil minha alma gritou.

Gritou ao mundo porque eu não tenho nada a esconder e, quando há algo tão forte em nós, não é possível outra coisa que o transparecer.

É de loucos, só um doido se apaixona assim e se sente bem. As paixões magoam-nos, estonteiam-nos, fazem-nos cometer loucuras, modificam-nos...

Mas verdade seja dita, se não nos apaixonar-mos por alguma coisa, nunca nos sentiremos vivos dentro da vida.

Uma vez apaixonados tornamo-nos completamente loucos, colocamos a vida no limite, e somos tanto, somos cheios, preenchidos... e somos felizes!

mentira

Todos na mesma dor unidos,


Somos perfeitos a fingir,

De medos e angústias munidos,

Já sem saber para onde ir.

Ah, que tristeza tamanha,

Não sabemos que lhe fazer,

O sofrimento na sua inteireza,

Tem confiança, que esse um dia há-de parecer.

Escondemos o sangue com sol e flores,

Escondemos a verdade ao pintar

A realidade com falsos amores.

E assim enganamos o tempo,

Na vil manhã de Primavera,

Que afinal era noite de Inverno, sem luz,

Sem amor,

Que afinal era treva.

Beleza

Tenta passar por mim devagar,


Dá-me tempo de reparar em ti,

De descobrir como és belo.

Que o meu olhar se demore em ti mais que o fugaz segundo habitual e pare,

Pare na limpidez do momento em que te vi.

Não, a tua beleza não se reduz a um qualquer deslumbramento instantâneo

Nem muito menos se limita ao imediatismo do quotidiano.

Ela revela-se a cada passo, a cada canto,

Quando tenho vontade do calor do teu sorriso

E te descubro ainda mais encanto

E, assim, a tua beleza é infinita pois, por mais estranho que pareça,

Ela é maior a cada dia.

Quando te vejo lindo, sei que te amo,

Assim como sei que a beleza daqueles que amamos dura a vida inteira.

quem luta vence sempre

Hoje tomei uma decisão: vou abraçar a vida, criar, recriar e reinventar-me. Não vou permitir que a doença e as adversidades da vida me vençam. Eu vou ser feliz!


Há quem se rendam ao sofrimento, deixando-se dominar e morrer por ele, há quem lhe faça frente, e eu escolho a segunda opção.

No fundo, somos o que fazemos de nós mesmos. Só é miserável quem se vê como um miserável, só é triste e infeliz quem se vê como tal. Eu ainda não sei o que vejo, talvez seja melhor cegar, talvez as coisas boas não possam ser vistas...

Hoje, olho os problemas de forma diferente. É certo que não podemos evitá-los, eles acabam por vir ter connosco e, por isso mesmo há quem lhes tente fugir, vivendo numa mentira ou quem os tente ignorar, acabando por explodir. Eu já experimentei ambos os meios e garanto que não são solução. Até agora, a melhor solução que encontrei foi a opção C: olhar os problemas de frente, viver com eles, sem medo de admitir a sua existência, não de uma forma permissiva mas activa, na medida em que tudo farei para os resolver e lhes ganhar.

Porque quem luta vence sempre!

terça-feira, junho 22, 2010

Amar é construir um sentimento eterno, maior que os homens, mais alto que o céu.


Amar é descobrir o sentido da vida

Amar é partir e ficar

Amar é viajar

Amar é morrer

Amar é sentir

Amar é quando dizes: foi para isto que eu nasci!

Amar é não conseguir regressar a casa.
Amar é ter dúvidas, é ter medo, é ter coragem.
Amar é tornar imortal!


Quando passamos a amar, construimos um sentimento maior que nós, que fica quando nós já não estamos, quando nós já não somos...um sentimento eterno!

Quando ama-mos alguém, pensamos que essa pessoa vai viver para sempre.

Amar

Amar é ter esperança, sem nada esperar


Amar é ser humilde, humano e errar

Amar é saber que se ama sem saber nada

Amar é ver o que mais ninguém vê

Amar é repensar a existência, é repensar acções, palavras, é reviver momentos

Amar é pensar

Amar é pensar no outro

Amar é ver o que está fora de nós

Amar é olhar-se a si mesmo nos olhos

Amar é destruir o tempo e esquecer preconceitos, é conhecer pormenores

É trazer o coração cheio e vazio, é andar em sobressalto e sentir paz

É ver beleza no que seria vulgar

Amar é reparar

Amar é preoucupar-se com o outro e andar despreoucupado

Amar é querer bem

Amar é querer ESTAR!
Há a possibilidade de existirem coisas fantásticas à nossa volta, ou dentro de nós e, não sabermos que existem, coexistindo com elas. Talvez não as conheçamos porque nos limitamos a ver o medíocre, o horrivel, o mau, o suficiente, porque só sabemos o que nos transmitem, o que se dá a conhecer e não temos coragem para partir á descoberta.
Há tanto para descobrir, tanto para conhecer, que a vida não chega!


Há tantas coisas que vão ficar por saber, a vida não nos dá tempo para conhecer o seu mistério!
Escrevo para materializar os meus pensamentos, tornando-os reais no entanto, fica-me a dúvida se ao fazê-lo não estarei a estrapular a sua essência. Afinal, o que é mais real?
Não venho numa cripta, eu sou dispersa, fora das coisas, no céu, nas árvores, nas ondas do mar...


Eu sou livre, não estou dentro de nada mas trago mais que o mundo dentro de mim.
- consegues controlar a fome ou a sede?


- não.

- então não me peças para controlar o que sinto.
Pergunto-me o que haverá de errado com o verbo amar para que as pessoas tenham tanto medo de o pronunciar; ou o que haverá de errado com o amor para que a grande maioria das pessoas perca tempo a escondê-lo.
-vou escrever!


- mas...estás sem inspiração...

- sim, mas sei que ela virá. Está apenas a brincar comigo ou à minha espera, à espera que eu me deixe desculpas e vá procurá-la.

- não será ela que te encontra?

- boa pergunta. Talvez... uma coisa eu sei: é a escrever que me encontro.

- então, a escrita implica sempre um encontro?

- sim, não importa quem encontra quem ou o que é que encontramos. O que interessa realmente é que a escrita comporta um encontro impossível de encontrar.

domingo, junho 20, 2010

segunda-feira, junho 14, 2010

O bem como atitude egoísta

Fazemos o bem porque nos parece bem, para nos sentirmos bem, para que a consciência não nos pese. Mas, porque será que praticamos o bem? Não será esta prática uma atitude egoísta, da qual tantas vezes nos vangloriamos? Será que fazemos o bem pelos outros ou por nós mesmos?



Na maioria das vezes, fazêmo-lo para os outros, mas com que intenção? O que sentimos? Em que é que pensamos? O que esperamos ganhar em troca quando o fazemos?
Há filósofos que dizem que o ser humano nunca está acabado, é um ser que se projecta no futuro e se vai construindo.


Concordo absolutamente com esta linha de pensamento, afinal todos nós somos um puzzel em construção, em que cada dia, cada sonho,luta, esperança, sofrimento ou pessoa que se cruza connosco é uma peça essencial do nosso puzzel, que somos nós próprios, sem deixar de ser também, parte de um grande puzzel, o maior de todos, o mundo e a humanidade.

Missão impossível

Esta é, seguramente, uma missão impossível: esquecer-te!



Para além disso, não sei se quero esquecer-te. Para quê esquecer se és das melhores recordações que eu posso guardar? Esquecer seria morrer, apagar os melhores anos, as loucuras, as confusões, as questões existênciais, as lágrimas em suma, seria apagar o meu crescimento como pessoa.


Nada na vida deve ser apagado, seja bom ou mau, óptimo ou até mesmo horrivel, não deixa de ser parte da nossa vida e, como tal, não devemos ter vergonha nem esconder mas sim, aceitá-la como parte de nós, da nossa história. Se apagarmos algo, estaremos a destruir uma parte de nós. Para além disso, por muito que queiramos esquecer, há coisas que, definitivamente, são impossíveis de apagar.
Não me tiras a liberdade, mas roubas-me o sossego...



Não foges nem te escondes, mas não me deixas chegar demasiado perto...


Dás-me o teu sorriso mas eu não sei o que fazer com ele...


És a maior contradição da minha vida. Mas, o que dá sal à vida, não são as coisas que nos deixam tudo de pernas para o ar? Remexem as gavetas da nossa mente, despejam os armários e nos fazem repensar toda a nossa existência? Eu penso que apesar de nos deixar num estado de confusão e, às vezes até de loucura, estes momentos são necessários e essênciais à vida, à evolução, à revolução de pensamento mesmo que, muitas vezes, nos deixem sem saber o que fazer.

Love

O que é o tempo ao lado do amor? O que é o espaço ao lado do amor? O que é o susseço, o dinheiro, o brilhantismo e a inteligência, ao lado do amor? Nada, não são nada, simplesmente deixam de existir.



O único ser que vive e é, o único que permanece e não passa nunca, é o amor, aquele que arruma a um canto todas as nossas ilusões e limitações.
Danço contigo durante um segundo ou por toda a eternidade, que me importa, se o tempo é coisa que não existe?



Dançamos e tornamo-nos imortais, somos um, sem espaço, sem tempo e, agora, sem música. Seguras a minha mão e os teus olhos sorriem-me, mais nada, e aquele momento, tão simples, tão irracional, fica para sempre.
Tocam o saxofone e o trombone na sala ao lado. Tocam uma melodia triste, de som forte... no entanto, parece que o som me chega de longe, do outro lado do mundo, como se de remniscências do incosciênte se tratasse.


Parece que os instrumentos tocam no passado, noutro mundo, transportando-me para outra dimensão.

Estamos em Junho e neva lá fora, é noite, inverno... e eu danço contigo.

Música e eu

O som do vento nas árvores, os ensaios com o saxofone, tudo isto é música.




A natureza, o som, o belo, o sol, o vento, o amor, tudo isto é música.


A vida é música, e música é vida!




A música é, sem dúvida, a expressão artística que mais me incomoda. Transporta-me para o passado, permite-me saborear o momento presente e faz-me sonhar com o futuro. A música provoca em mim emoções, faz-me pensar, reflectir, inflectir, cantar, dançar e sorrir.


Para mim, conhecer-me é ouvir música, viajar é ouvir música, viver é música.

quinta-feira, junho 10, 2010

Os sentimentos são o que são e, por muito que os tentemos controlar ou esconder, isto será, obviamente, uma tarefa impossível de executar. Especialmente para mim, que trago tudo o que sou escrito no olhar. Às vezes sou de uma transparência tal que até enerva.



Mas nem por isso impeço que os sentimentos circulem, selvagens, pelo meu corpo e aflorem à superfície da pele. É curiosa esta capacida de trazer à superfície o mais profundo do ser. Algumas pessoas são dotas dela, e eu penso também o ser, e não me importo rigorosamente nada, não escondo, não fujo, não finjo.


Afinal, só posso ser feliz asssim, se trouxer o coração a transbordar, ora de emoção ora de vazio, mas sempre estampado no rosto, longe de tudo o que é falso.

Só existe o que eu deixar existir

Posso não querer a dor mas deixar que ela exista e pressista, permitindo  que habite em mim e, livremente, precorra todo o meu ser.
A chuva beija-me a alma


O vento sussura ao coração,

A noite compõe melodas

Que brilham na escuridão.

Teus passos vão apressados,

Molhados e descalços pés,

Ah, como chove cá dentro!

E eu sem saber quem tu és

À chuva foi esse beijo,

Sob estrelas e luar,

O coração a arder de desejo,

De um dia, meu amor, te encontrar.
rasga-me o peito, se quiseres


bebe-me o sangue,

consegues agora ver

o meu coração?

Beija-me o rosto,

Bebe-me as lágrimas,

Consegues agora

Sentir o meu olhar?

Será preciso tanto para ver alma? para mim, um sorriso basta.
O vento sussura-me os segredos do teu olhar,



Sopra a tua magia e arrasta-a pelo mundo, fazendo-a brilhar,


A chuva taz-me saudades do teu sorriso,


Se fosse ela a sentir,


talvez pensasse duas vezes antes de o fazer,


começo a colocar a hipótese que o sofrimento lhe dá um certo prazer...

não sou de frases feitas, mas saíu

A mentira cobre-te um dia de flores, a verdade enche-te a vida de sol.

a vida é um poema

A vida é um poema, sonha,



A vida é um poema, escreve-o


A vida é um poema, fá-lo acontecer


A vida é um poema, declama-o


A vida é um poema, por vezes faz-nos sofrer...


A vida é um poema, materializa-o


A vida é um poema, partilha-o


A vida é um misto de poesia e música, dança, canta


Sente este poema que é a vida,


A vida é um poema, como escreves o teu?

Silêncio

Silêncio magoado,



Silêncio cansado,


Silêncio que fala,


Silêncio omnipotente,


Silêncio que nunca cala,


Que nunca me deixa indiferente.


Silêncio, que em silêncio tudo diz,


No segredo das paixões e dos sonhos


Que um dia eu verdadeiramente quiz.

Omnipresente

Na lua, nas estrelas e na noite



Nas flores, no céu e no horizonte


Nas aves, na areia, no sol e no mar,


És sempre tu.


Na escuridão e luz que me ofusca,


Nos sorrisos e sonhos esquecidos,


Nos abraços apertados e nos dias perdidos,


És tu,quem me aparece de forma brusca,


Num rasgo de sol que me estonteia,


Num misto de emoções,


Entre as ondas calmas do meu ser,


Qual cálice a transbordar de paixões,


Que bebo, sem saber o que estou a fazer.
A diplomacia ficou em casa, a responsabilidade desapareceu, a inteligência deixou de ser importante e o sonho ah, esse morreu!

O que faria se tu ficasses comigo?

Sinceramente, nunca pensei muito no assunto... em primeiro lugar, nunca te pediria tal coisa, em segundo, sei que nunca irias ficar...

segunda-feira, junho 07, 2010

Chuva

Sente a chuva, sente o vento
sente o sol do meu amor
sente a paz e a loucura
deste dia sem sabor

teus olhos doces, sente...
sente a tristeza que há em mim
sente o mistério que há em nós
eu sinto a tua força
sentimos e nunca estamos sós

sente como ela te molha o rosto
sem se importar com o que nos faz sentir
sente como te perturba
tudo o que imaginas que possa existir

Vida

A vida é um poema
que começa com uma explosão
cada dia uma pequena palavra,
nunca indiferente ao coração.

Porque é que o homem continua a manipular?

Porque é que, no contexto democrático dos nossos tempos, tendo pleno conhecimento da manipulação, se deixa o homem manipular?

Sonho

Sonho com o dia em que farei poesia,
hoje pinto um pano de mil cores, mas a tela, essa continua vazia...
Ah, nesse dia ninguém será capaz de roubar a cor do meu desenho
nem o som da minha alegria,
que a realização do sonho
é milagre ou até mesmo magia

Obrigada :)

Porque no início eras só mais uma desconhecida no entanto, cativas-te-me com esse jeito apaixonante! Cativas-te-me com esse teu riso contagiante e esse sorriso que ilumina tudo em teu redor.
Porque foste e és uma amiga fantástica, porque despertas-te a criança que há em mim e, eu não podia deixar de to dizer: Amo-te!

Amo-te

Encontro a felicidade na doçura do teu sorriso e quando o perigo te rodeia sinto-me angustiada e impotente, pois não consigo evitar o sofrimento daqueles que amo.
Se um dia te sentires sozinha tenta lembrar-te dos melhores momentos que passamos juntas e, talvez o teu coração se acalme... pensa nas confidências, segredos, medos, receios, alegrias, sorrisos e tristezas partilhadas...lembra-te das nossas figurinhas tristes, das pessoas com quem gozávamos ( ah que crianças!)
É pouco minha linda, mas é tudo o que tenho para te dar e acredita, para mim é tanto, tanto...

Never Hide

Quando parecia que já nada fazia sentido, aparece o teu sorriso...
Inicialmente, pensava que só gostava da tua companhia porque eras engraçada, divertida, mas aos poucos fui-me apercebendo da importância que tens na minha vida e no lugar que ocupas no meu coração...

quinta-feira, junho 03, 2010

estranho

«andas animada? feliz?»

- sim (mas minto);

é estranho mentir a uma pessoa de quem eu gosto tanto...é estranho mentir a mim própria e ainda mais, é estranho não me sentir feliz com tudo de bom que me tem acontecido ultimamente...